Lançamento | Tinderellas: o amor na era digital

R$ 59,00

Tinderellas: O amor na era digital

ISBN 978-85-67695-007-5

Lígia Baruch de Figueiredo
Rosane Mantilla de Souza

Descrição

As relações amorosas têm história. E foi só no século 19 que casar por amor passou a ser uma possibilidade. O jovem via a moça na igreja e pedia permissão ao pai dela para visitá-la em casa. No início do século 20, o automóvel e o telefone trouxeram uma grande novidade: o encontro marcado. Nas últimas décadas do século, os casais se conheciam nos bares, nas festas ou eram apresentados por amigos em comum.

Atualmente, os aplicativos para celular ganham cada vez mais espaço. Não são poucos os namoros e casamentos iniciados a partir dessa tecnologia. Nos Estados Unidos, um terço das pessoas que se casaram nos últimos anos encontrou seu par em aplicativos, que vão além do simples “match”. Criam uma intimidade cheia de informações antes do primeiro beijo!

A transformação radical na dinâmica do comportamento humano causada pela revolução tecnológica é quase imperceptível em nosso plano consciente, mas representa o início de uma nova era na história da
humanidade.

Esta obra de Lígia Baruch de Figueiredo e Rosane Mantilla de Souza traz um imprescindível registro da evolução dos relacionamentos amorosos. As autoras pesquisaram mulheres urbanas de mais de 35 anos e propuseram a existência de três estilos de uso dos aplicativos bem distintos entre si: o curioso, o recreativo e o racional.

O estilo curioso é o exploratório, uma forma de início escolhida por muitas mulheres. Elas experimentam diversos aplicativos e conversam com muitas pessoas diferentes, mas falam pouco de si. Funciona como uma boa estratégia de preservação da intimidade quando ainda se está na dúvida sobre o uso do aplicativo.

O segundo estilo, o recreativo, alude à imagem de jogar, brincar, ou seja, está mais próximo das ideias de leveza e diversão. Conhecer pessoas para se divertir, viver emoções e novidades é a tônica deste estilo de uso.

O terceiro e último estilo encontrado pelas autoras, o racional, é bem tradicional. Nele a mulher tem um objetivo claro: encontrar um bom namorado com o intuito de casar e formar família.

Os aplicativos também trouxeram uma nova perspectiva sobre a separação e o divórcio. Sabemos que, mesmo quando considerada necessária, ainda que a relação seja insatisfatória e o parceiro já não preencha as necessidades
afetivas e sexuais do outro, uma separação não deixa de ser uma experiência dolorosa, na maior parte das vezes. O fim da relação também representa uma ruptura com a fantasia do par amoroso idealizado, além de abalar a autoestima e exacerbar as inseguranças pessoais. As pessoas têm medo de se separar. Medo de ficarem sós, de sentirem falta do outro, de não encontrarem um novo amor, de se sentirem jogadas fora.

As autoras demostram como hoje muitas mulheres podem sair de casamentos abusivos, divorciar-se e encontrar nova companhia – em qualquer idade e de acordo com seus próprios critérios de seleção. Outras tantas podem ter um cardápio de opções, sem depender de seu grupo social para apresentações. E, para o público LGBTX, nunca foi tão fácil encontrar parceria.

O texto deixa claro que este é um momento histórico em que tecnologia, amor, sexo e questões de gênero se misturam, trazendo novas maneiras de se relacionar. E é justamente a busca – e não necessariamente o encontro – o aspecto mais inovador trazido pelos aplicativos à vida de mulheres e homens.

O livro presta um inestimável serviço à compreensão das relações contemporâneas, esclarecendo a complexidade por trás de amores e desejos que viajam em smartphones por todo o mundo.

Regina Navarro Lins, psicanalista e escritora

Assista ao comentário de Bete Pacheco sobre o livro Tinderellas no programa Em Pauta, da GloboNews, aqui: Amor na era digital

Informação adicional

Peso 200 g
Dimensões 24 x 17 cm